domingo, 21 de novembro de 2010

Aonde quer que eu vá, levo você

Após uma Sexta Feira corrida, não tive vontade de voltar para casa, nem sequer de reprimir algo dentro de mim.
Pensei em dezenas de lugares que poderia ir e fui levado ao Pico do Jaraguá, onde de tão alto pode-se ver tudo em volta, então tentei com olhos de águia enxaguar o que eu queria, mas só pude ver uma cidade de concreto sem alegria. Quem eu queria ver estava muito distante, além das linhas do horizonte, muito depois daquelas montanhas e ao mesmo tempo tão perto, sempre ao meu lado.
Lembro de sentar-me a grade e observar o pôr-do-sol, minutos depois estava a sonhar e delirar em pensamentos de minha amada, tão linda, tão meiga, tão perfeita. Sentado a grade que estava com um olhar sério e distante, comecei a rir de alegria, rir de poder amar tanto uma pessoa.
E do alto daquele pico, peço aos ventos que leve meu amor até ela e toque uma linda melodia, pois sei que mesmo distante, ela há de lembrar-se de mim.

♫ Se isso não é amor
O que mais pode ser? ♪



(P&G)

1 comentários:

☼Patricia disse...

Aonde quer que vá...

Levo vc no olhar♫

Postar um comentário

Deposite sua idéia aqui! :)